terça-feira, 22 de maio de 2007

"O principal herói deste livro é o relacionamento humano. Homens e Mulheres, os nossos contemporâneos, desesperados por terem sido abandonados aos seus próprios sentidos e sentimentos facilmente descartáveis, ansiando pela segurança do convívio e pela mão amiga com que possam contar num momento de aflição, desesperados por 'se relacionarem'. E, no entanto, desconfiados da condição de 'estar ligado', em particular de estar ligado 'permanentemente', para não dizer eternamente, pois temem que tal condição possa trazer encargos e tensões para que eles não se consideram aptos nem estão dispostos a suportar e que podem limitar severamente a liberdade de que necessitam para - sim, o seu palpite está certo - se relacionarem..."
Zygmunt Bauman, ed. Relógio d'Água

3 comentários:

teresapaulamarques@clix.pt disse...

Ligar-se a alguém implica correr riscos. O risco de perder a liberdade, de ficar de algum modo dependente afectiva e emocionalmente . Por isso algumas pessoas se assustam com isso e recuam. No fundo é esse o preço a pagar... um beijo e bom fim-de-semana!

estesmomentos@hotmail.com disse...

"Relacionar-se". Eis a dificuldade das pessoas que, a troco de uma ilusória liberdade, julgam ser impossível alcançá-la em "comunhão" com outrem. Talvez porque ainda não entenderam que amar é deixar ser. Simples! Mais uma vez parabéns pelo post.

amadora.pt@uni-yoga.org disse...

Olá!

De facto as edições Relógio D'Água têm sempre boas obras... sobre yôga por exemplo, são dos melhores.

Para os interessados em Yôga: www.yogamadora.com

Abraços